Ministério Público do Paraná homenageia membros com 50 anos de ingresso na carreira

Um mergulho no passado. Foi assim a tarde desta quinta-feira, 15 de julho, para os participantes do evento em comemoração dos 50 anos de ingresso na carreira do Ministério Público do Paraná dos promotores substitutos empossados em junho de 1971. Os homenageados presentes na solenidade – Carlos Masaru Kaimoto, Fajardo José Pereira Faria, Hélio Airton Lewin, Mário Luís Gonçalves da Silva e Rui Valente de Almeida – compartilharam lembranças e depoimentos emocionados.

“Foram dezesseis mentes brilhantes nomeadas à época, que carregaram em suas mãos a glória desta instituição. Nesta homenagem louvamos a todos com júbilo”, afirmou o procurador de Justiça aposentado Sérgio Renato Sinhori, presidente do Conselho Curador do Memorial do MPPR. Também integram o grupo empossado em 1971: Antonio José Casselli Kassin, Antonio Melchiori Netto, Francisco Elpídio Chiarini Ortiz, Lauro Benedicto de Castello Branco (in memorian), Marlene Jordão da Motta Armiliato, Maurício Kuehne, Naylor André das Chagas Lima (in memorian), Ruy Carlos Marcondes Marques (in memorian), Sérgio de Miranda Silva (in memorian), Sônia Maria Bardelli Silva Fischer, Vanderlei Antonio Bonamigo (in memorian).

Homenagens

O procurador de Justiça aposentado Cid Raymundo Loyola Junior, integrante do Conselho Curador do Memorial, destacou as adversidades enfrentadas pelos homenageados nas suas trajetórias institucionais: “Nesta celebração, misturam-se histórias de sacrifícios familiares, noites indormidas, integridade, respeito e dedicação em suas profícuas carreiras. Essa somatória de acontecimentos marcantes constitui o melhor conjunto de bens que marcou o brilho de suas atuações funcionais”.

A influência dos jubilados nas gerações seguintes foi o tema da fala do presidente da Associação Paranaense do Ministério Público (APMP), promotor de Justiça André Tiago Pasternak Glitz. “Vocês não só entregaram suas vidas e construíram o nosso Ministério Público, mas também tocaram o destino de muitos à sua volta, inspirando a trajetória pessoal e a carreira de inúmeros colegas que integram nossa instituição.”

Durante o evento, o procurador de Justiça aposentado Rui de Almeida Valente presenteou o Memorial com um exemplar de um informativo institucional de 1971, que contém detalhes do concurso realizado naquele ano, como os nomes dos integrantes da banca, número de candidatos inscritos e colocações de aprovação. “Agradeço a Deus, o Grande Arquiteto do universo, por ter me permitido integrar as fileiras do Ministério Público do Paraná”, afirmou.

“Há 50 anos entregamos nossos sonhos e nossas vidas ao Ministério Público. Fizemos isso com amor, com esforço e com a crença de que poderíamos ser úteis no exercício das nossas funções na proteção dos direitos da população. Por isso, o sentimento maior que brota hoje é o de gratidão por esse reconhecimento institucional”, declarou o procurador de Justiça Hélio Airton Lewin, coordenador do Caop das Promotorias Criminais, do Júri e de Execuções Penais.

O assessor de gabinete da Procuradoria-Geral de Justiça, Luiz Celso de Medeiros, relembrou a importância dos jubilados na construção do novo perfil constitucional do MP, firmado em 1988. “Presto profundo agradecimento ao exemplo, à dedicação e à atuação dessa geração que contribuiu para forjar o atual Ministério Público, com suas características de autonomia e independência funcional.” 

 

 

 

Legado

Ao encerrar a solenidade, o procurador-geral de Justiça, Gilberto Giacoia, celebrou a trajetória honrada e o legado vitorioso dos homenageados: “Com galhardia, integridade ética e qualificação intelectual, Vocês contribuíram decisivamente para a construção deste nosso glorioso Ministério Público e recebem com merecido destaque essa demonstração inequívoca de reconhecimento institucional”.

Giacoia também ressaltou os ideais atemporais que marcam o jubileu de ouro da geração de 1971. “Seus semblantes de hoje ainda mostram as marcas do entusiasmo da juventude de seus princípios éticos, brilho nos olhos, amor no coração. O tempo não passa para esses valores, o tempo é eterno para quem acredita na força e na fé do coração. Aos que não puderam estar aqui hoje, entre nós, fica o perfume de sua doce lembrança.”

Também participaram do evento o diretor-secretário da Procuradoria-Geral de Justiça, Willian Buchmann; o coordenador de Assuntos Institucionais, Fernando da Silva Mattos; a 2ª vice-presidente da APMP, Nayani Kelly Garcia; o secretário do Conselho Superior do Ministério Público, Wilde Soares Pugliese; o promotor de Justiça Humberto Eduardo Pucinelli; Ana Maria Ferraz Lewin, Alexandre Ferraz Lewin e Érica Aparecida Cardoso Lewin, respectivamente esposa, filho e nora do procurador de Justiça Hélio Airton Lewin.

 

 

 

 

 

 

 

 

Recomendar esta página via e-mail:
Captcha Image Carregar outra imagem