Artigos Científicos

COMUNIDADES TERAPÊUTICAS
  • A COMUNIDADE TERAPÊUTICA PARA RECUPERAÇÃO DA DEPENDÊNCIA DO ÁLCOOL E OUTRAS DROGAS NO BRASIL: MÃO OU CONTRAMÃO DA REFORMA PSIQUIÁTRICA?

AUTOR(ES): Pablo Andrés Kurlander Perrone

ANO DE PUBLICAÇÃO: 2014

RESUMO: Na segunda metade do século passado iniciava-se um movimento revolucionário no cenário mundial da saúde mental: a Reforma Psiquiátrica. No mesmo momento nascia a proposta das Comunidades Terapêuticas, que mais tarde se tornaria um modelo consagrado de atendimento para a dependência do álcool e outras drogas. Por outro lado, com o alarmante crescimento deste problema no Brasil, assim como pela ausência de políticas públicas que dessem conta do problema, houve uma indiscriminada proliferação de locais de internação para dependentes químicos que, mesmo se autodenominando como Comunidades Terapêuticas, em nada se assemelham ao modelo inicial proposto. Estes locais apresentam práticas desumanas e iatrogênicas, muito semelhantes às criticadas pelo movimento da Reforma Psiquiátrica, o que tem provocado o descrédito para com o modelo das Comunidades Terapêuticas. Leia mais.


  • BIOÉTICA NO ACOLHIMENTO A DEPENDENTES DE DROGAS PSICOATIVAS EM COMUNIDADES TERAPÊUTICAS

AUTOR(ES): Bruno R. Schlemper Junior 

ANO DE PUBLICAÇÃO: 2018

RESUMO: O abuso de substâncias psicoativas é problema mundial e extremamente difícil em todos os seus aspectos, requerendo a oferta de serviços para grandes contingentes de dependentes, nem sempre atendidos pelos setores públicos responsáveis. Isso exige a participação complementar de instituições privadas sem fins lucrativos, como as comunidades terapêuticas. Essas comunidades são instituições de diferentes origens, adotam metodologias distintas e recebem pessoas hipervulneráveis, o que exige dos voluntários e profissionais de saúde acolhimento ético e torna essa área campo em que a bioética pode contribuir para solucionar conflitos durante a atenção residencial transitória. Pela escassa abordagem ética de comunidades terapêuticas na literatura mundial, em especial na brasileira, este artigo enfatiza alguns princípios e referenciais bioéticos, como autonomia, sigilo e confidencialidade, alteridade, espiritualidade, solidariedade e cuidado respeitoso. Por fim, estimula a comunidade acadêmica a contribuir para enriquecer a reflexão bioética sobre o cuidado às pessoas nessas instituições. Leia mais.


  • DEPENDÊNCIA QUÍMICA E ABORDAGEM CENTRADA NA PESSOA: CONTRIBUIÇÕES E DESAFIOS EM UMA COMUNIDADE TERAPÊUTICA

AUTOR(ES): Rafaella Medeiros de Mattos Brito; Tiago Monteiro Sousa

ANO DE PUBLICAÇÃO: 2014

RESUMO: Diante dos debates sobre as possibilidades de tratamento para a dependência química no Brasil, expomos neste artigo um pouco da nossa experiência no setor de psicologia de uma Comunidade Terapêutica. Tendo como referencial teórico a Abordagem Centrada na Pessoa, de Carl Rogers, deparamo-nos com questionamentos que se apresentaram a partir da prática e da reflexão sobre nossa atuação: a novidade que é a psicoterapia para os participantes; os desafios de estarmos em um setting terapêutico diferente daquele no qual fomos formados para atuar; o trabalho multidisciplinar; e o carácter focal dos nossos serviços. Propomos, então, alguns caminhos possíveis que nos ajudaram a alcançar resultados positivos no desenvolvimento pessoal daqueles que estavam em tratamento para dependência química. Leia mais.


MULHERES USUÁRIAS DE DROGAS
  • A EMERGÊNCIA DA POLITIZAÇÃO DA INTIMIDADE NA EXPERIÊNCIA DE MULHERES USUÁRIAS DE DROGAS

AUTOR(ES): Marco Aurélio Máximo Prado; Isabela Saraiva de Queiroz

ANO DE PUBLICAÇÃO: 2012

RESUMO: Tendo como referencial teórico o campo intelectual feminista, este artigo discute a fundamentação moral e sexista do modelo de tratamento proposto pelo serviço de atenção a usuários de álcool e outras drogas conhecido como comunidade terapêutica. A partir do acompanhamento da experiência de um grupo de mulheres em tratamento em serviço aberto (CAPS-AD), apresenta-se a possibilidade de constituição de um espaço de politização da intimidade de mulheres usuárias de drogas. Ao final, discute-se que, para além do tratamento do uso abusivo de drogas, o trabalho no grupo de mulheres potencializou o questionamento da sua condição de gênero, por meio da interpelação coletiva sobre as relações de subordinação e opressão às quais estão submetidas e do reconhecimento dos lugares de fragilidade e insuficiência historicamente a elas atribuídos. Leia mais.


CRACK
  • HISTÓRICO E FATORES ASSOCIADOS À CRIMINALIDADE E VIOLÊNCIA ENTRE DEPENDENTES DE CRACK

AUTOR(ES): Bianca Aparecida Ribeiro Singulane; Nayara Baptista Silva; Laisa Marcorela Andreoli Sartes

ANO DE PUBLICAÇÃO: 2016

RESUMO: Este estudo buscou avaliar o histórico, envolvimento recente e fatores associados a violência e criminalidade entre dependentes de crack em tratamento em Comunidades Terapêuticas (CTs). Foram entrevistados 72 indivíduos, maiores de 18 anos, que estavam em tratamento em CTs do interior de Minas Gerais. Os participantes responderam ao Addiction Severity Index versão 6 (ASI6), Teste de Triagem do Envolvimento com Álcool, Cigarro e Outras Substâncias (ASSIST) e questionário sociodemo­gráfico. Os resultados mostraram que a maioria tinha histórico de detenções e esteve recentemente envolvido com violência e atividades ilegais, como roubo, furto, tráfico de drogas e agressões. A regressão de Poisson mostrou que o maior nível de instrução teve um efeito protetor, enquanto problemas com emprego, psiquiátricos e prisão na adolescência estavam associados a crimes nos últimos seis meses. Um programa de reinserção ocupacional e educacional durante o tratamento e após a alta das CTs pode ser uma abordagem protetora para crimes. Leia mais.


  • PRÁTICA EDUCATIVA COM JOVENS USUÁRIOS DE CRACK VISANDO A PREVENÇÃO DO HIV/AIDS

AUTOR(ES): Agnes Caroline Souza Pinto; Eveline Pinheiro Beserra; Izaildo Tavares Luna; Luiza Luana de Araújo Lira Bezerra; Patrícia Neyva da Costa Pinheiro

ANO DE PUBLICAÇÃO: 2016

RESUMO: Objetivo: Relatar a intervenção educativa com jovens usuários de crack visando à prevenção do HIV/AIDS através da metodologia de Círculo de Cultura. Métodos: Pesquisa de natureza qualitativa, realizada em 2012 com 10 jovens usuários de crack atendidos em uma comunidade terapêutica de Fortaleza-CE. A coleta de informações incluiu: observação participante com diário de campo; registro fotográfico e filmagem; e, como produção do grupo, teatro de fantoches. Resultados: O Círculo de Cultura permitiu aos jovens desvelar as suas principais vulnerabilidades ao HIV/AIDS, como o compartilhamento de canudos e cachimbos no uso da cocaína/crack e a perda da consciência como influenciadora na diversidade de parceiros e no não uso do preservativo nas relações sexuais. Leia mais.


ARTIGOS PRODUZIDOS PELA EQUIPE SEMEAR
  • A ATUAÇÃO DO PROJETO ESTRATÉGICO SEMEAR DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARANÁ FRENTE À POLÍTICA NACIONAL SOBRE DROGAS

AUTOR(ES): Guilherme de Barros Perini

ANO DE PUBLICAÇÃO: 2019

RESUMO: O presente artigo pretende abordar a estratégia de atuação do Ministério Público do Estado do Paraná frente à Política Nacional sobre Drogas - PNAD, discorrendo, para tanto, sobre o histórico da PNAD, as falhas na execução da Lei nº 11.343/2006 e seus reflexos nos discursos em torno da descriminalização do porte de drogas para consumo pessoal, as fases de atuação e a contribuição do Projeto Estratégico Semear em relação ao tema e o consumo de drogas nas prisões e medidas de controle, tangenciando, nesse aspecto, os temas da cifra oculta do consumo de drogas nas prisões e a falta de tratamento dos presidiários consumidores de drogas. Leia mais.


  • COMUNIDADE TERAPÊUTICA: PRIVAÇÃO DE LIBERDADE OU IMERSÃO DEMOCRÁTICA?

AUTOR(ES): Noeli Kühl Svoboda

ANO DE PUBLICAÇÃO: 2020

RESUMO: O presente estudo, fundamentado em literatura multidisciplinar, especialmente nos âmbitos do Direito, da Psiquiatria, da Psicanálise e da Psicologia, foi delineado a partir da problemática: “Quais são os critérios de admissão dos residentes para que se mantenha o funcionamento inato da Comunidade Terapêutica enquanto ambiência democrática?” Alguns pilares normativos sucessivamente inscreveram as Comunidades Terapêuticas, enquanto equipamento social, no enfrentamento da epidemia de adicção que complexificou as relações ante a perspectiva de mudança no laço social (...) Leia mais.


ESTUDO COMPLEMENTAR: ARTIGOS SOBRE O TEMA DROGADIÇÃO EM LÍNGUA INGLESA
  • A GUIDE FOR PLANNING AND IMPLEMENTING SUCCESSFUL MENTAL HEALTH EDUCATIONAL PROGRAMS (em língua inglesa)

AUTOR(ES): Thiago Blanco-Vieira; Fernando Augusto da Cunha Ramos; Edith Lauridsen-Ribeiro; Marcos Vinícius Vieira Ribeiro; Elisa Andrade Meirele; Brunno Arauújo Nóbrega; Sonia Maria Motta Palma; Maria de Fátima Ratto; Sheila Cavalcante Caetano; Wagner Silva Ribeiro e Maria Conceição do Rosário

ANO DE PUBLICAÇÃO: 2018

RESUMO: Considering the global burden of mental disorders, there is a worldwide need to improve the quality of mental health care. In order to address this issue, a change in how health care professionals are trained may be essential. However, the majority of the few reports published on this field’s training programs do not discuss the characteristics associated with the success or failure of these strategies. The purpose of this review was to systematically examine the literature about mental health training programs designed for health care professionals in order to identify the relevant factors associated with their effective implementation. Leia mais.

Recomendar esta página via e-mail:
Captcha Image Carregar outra imagem